Notícias

UNESCO lança proposta para abordar questões éticas em conteúdos da internet

07 maio 2021

  • Aumentar a transparência ao produzir conteúdos publicados por empresas da internet e melhorar proteção de direitos humanos é a meta de uma nova publicação da Organização das Nações Unidas para Educação Ciência e Cultura (UNESCO).
  • A ideia é ter uma alternativa entre a regulamentação excessiva de conteúdos, que limita direitos humanos, e uma abordagem liberal, que pode gerar conteúdos problemáticos, incentivando o discurso de ódio e a desinformação.
  • O novo resumo Deixando o Sol brilhar: Transparência e Responsabilidade na Era Digital, em tradução livre, será seguido de uma consulta global nos próximos meses.
pessoas utilizam laptops
Legenda: Debate abrange poder das empresas do ramo da TI em esferas econômica, social e política, além de seu papel no contexto das comunicações
Foto: © G. Anderson/ITU

Aumentar a transparência ao produzir conteúdos publicados por empresas da internet é a meta de uma nova publicação da Organização das Nações Unidas para Educação Ciência e Cultura (UNESCO).

A ideia é ter uma alternativa entre a regulamentação excessiva de conteúdos, que limita direitos humanos, e uma abordagem liberal gerando conteúdos problemáticos, incentivando o discurso de ódio e a desinformação.

Ética - A agência apresentou o novo resumo Deixando o Sol brilhar: Transparência e Responsabilidade na Era Digital, em tradução livre, que será seguido de uma consulta global nos próximos meses.

Junto a várias partes interessadas se pretende que empresas, reguladores e especialistas promovam e protejam os direitos humanos no ambiente digital. Outra expectativa é gerar recomendações sobre ética na inteligência artificial.

A obra do especialista em política da internet, Andrew Puddephatt, coincide com o debate sobre o poder das empresas do ramo em esferas econômica, social e política, além de seu papel no contexto das comunicações. 

O resumo incentiva esses negócios a adotar uma visão comum, desenvolvendo princípios focados em resultados. Estas medidas poderiam ser aplicadas em toda a indústria, independentemente da dimensão, do modelo e engenharia das empresas que têm a internet como plataforma.

Dados pessoais - Os 65 princípios da obra cobrem desde os conteúdos ao processo de produção, destacando áreas como indenização, capacitação, dimensões comerciais, coleta, uso e acesso a dados. 

Da lista também fazem parte o reconhecimento por essas empresas da obrigação de se proteger os direitos humanos e do dever de ter maior transparência sobre possíveis atuações em contextos eleitorais ou países em conflito. 

UNESCO lança proposta para abordar questões éticas em conteúdos da internet

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

UNESCO
Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa