Dia Mundial contra a AIDS: diretor regional do UNAIDS relembra desafios e aprendizados com o HIV

  • Em comunicado no Dia Mundial contra a AIDS de 2020, 1° de dezembro, o diretor regional do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) para a América Latina e o Caribe, César Núñez, relembrou como era difícil quando o HIV foi descoberto há 40 anos. 
  • “Foi difícil ver milhares de pessoas morrerem quase sem explicação, perdendo suas vidas primeiro porque não tínhamos as habilidades para responder, as ferramentas para prevenir. E depois pela nossa falta de compreensão, respeito pela compaixão e solidariedade que devemos ter com todas as pessoas”. Veja a mensagem completa do diretor regional do UNAIDS.

Em comunicado no Dia Mundial contra a AIDS de 2020, 1° de dezembro, o diretor regional do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) para a América Latina e o Caribe, César Núñez, relembrou como era difícil quando o HIV foi descoberto há 40 anos. Veja a mensagem completa do diretor regional do UNAIDS:

Por César Núñez*  

"O ano de 2020 é certamente um ano que não será esquecido.

No futuro, cada um e cada uma de nós provavelmente se lembrará de onde estávamos, dos obstáculos que superamos e do quanto a pandemia de COVID-19 nos fez mudar.

Para aqueles de nós familiarizados com a história humana recente, é fácil lembrar como era difícil quando o HIV foi descoberto pela primeira vez – quando a epidemia de AIDS começou há 40 anos. Lembre-se de como foi difícil ver milhares de pessoas morrerem quase sem explicação, perdendo suas vidas primeiro porque não tínhamos as habilidades para responder, as ferramentas para prevenir. E depois pela nossa falta de compreensão, respeito pela compaixão e solidariedade que devemos ter com todas as pessoas.

Se podemos aprender uma lição importante sobre o que enfrentamos hoje no século 21 em relação à epidemia de COVID-19, essa lição certamente está relacionada à solidariedade global e à responsabilidade compartilhada. Exatamente a mesma lição que temos em nossas mentes, livros de história e vidas pessoais sobre a AIDS.

Ao comemorar o Dia Mundial da AIDS em 1º de dezembro de 2020, gostaria de convidar você a refletir sobre o seguinte: como você se solidarizou com aquelas pessoas que precisavam de apoio em tempos de COVID-19? Com a sua família, com as pessoas do seu bairro, no seu trabalho, na escola, na sua comunidade, na sua cidade, no seu país, no seu planeta…

Há quatro décadas, começamos a acumular lições importantes com a epidemia de HIV, mas parece que não aprendemos tudo… ou pelo menos não aprendemos o suficiente sobre como usar a solidariedade como parte de nossa vida cotidiana, como parte de nossas decisões diárias.

É nossa responsabilidade, individual e compartilhada, refletir sobre nossos papéis como cidadãos, como pais, mães, irmãos, irmãs, professores, tomadores de decisão, especialistas… refletir sobre nossos papéis como seres humanos na sociedade…

Gostaria reafirmar as palavras da diretora-executiva do UNAIDS, Sra. Winnie Byanyima, que disse estar muito orgulhosa de que durante o ano passado o movimento de HIV se mobilizou para defender o nosso progresso, proteger as mulheres, pessoas que vivem com HIV e outros grupos vulneráveis e para reverter o coronavírus. Eu não poderia concordar mais com ela.

É a força das comunidades, inspirada por uma responsabilidade compartilhada entre todos, que tem contribuído muito para nossas vitórias sobre o HIV.

Convido você mais uma vez a deixar essa força nos inspirar para seguirmos em frente e superarmos as barreiras que temos adiante. Vamos nos solidarizar com todas aquelas pessoas que precisam do nosso apoio e usar sabiamente este movimento como nossa inspiração para podermos seguir em frente e não deixar ninguém para trás, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 2030".

*César Núñez, Diretor regional do UNAIDS para a América Latina e o Caribe.  

 

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
UNAIDS
Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/SIDA