Secretário-geral da ONU insta países para que “concluam o trabalho” de remoção de minas terrestres

  • Em uma mensagem para o Dia Internacional de Sensibilização sobre Minas e Assistência à Desminagem, marcado anualmente no dia 4 de abril, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, convocou a comunidade internacional para se comprometer novamente com a meta de um mundo livre de minas.
  • Desde de 1997, mais de 160 estados já assinaram Convenção sobre a Proibição de Minas Antipessoais.
  • Além de matar e mutilar indiscriminadamente milhares de pessoas mundialmente, minas terrestres, restos de explosivos de guerra e dispositivos explosivos improvisados, dificultam o desenvolvimento social e econômico.
Um desminador trabalhando na República Democrática do Congo.
Um desminador trabalhando na República Democrática do Congo.

Em uma mensagem para o Dia Internacional de Sensibilização sobre Minas e Assistência à Desminagem, marcado anualmente no dia 4 de abril, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, convocou a comunidade internacional para se comprometer novamente com a meta de um mundo livre de minas, instando esforços para “fazer essa a última década em que precisamos nos dedicar a esta tarefa”.

Guterres apelou para todas as nações que não aderiram à Convenção sobre a Proibição de Minas Antipessoais o façam “sem demora”. Desde de 1997, mais de 160 estados já assinaram o tratado, formalmente conhecido como a Convenção sobre a Proibição do Uso, Armazenamento, Produção e Transferência de Minas Antipessoais e sobre sua Destruição.

“Às vezes fazemos progresso na remoção de minas apenas para tê-lo revertido em seguida”, disse Guterres, enfatizando que “não podemos nos contentar apenas com o ativismo e campanhas para conscientizar sobre os perigos colocados pelas minas terrestres”.

“A carta das Nações Unidas nos convoca a concluir o trabalho: pesquisar, limpar e destruir esses dispositivos mortais”.

 

António Guterres, secretário-geral da ONU.

Além de matar e mutilar indiscriminadamente milhares de pessoas mundialmente, minas terrestres, restos de explosivos de guerra e dispositivos explosivos improvisados, dificultam o desenvolvimento social e econômico. Elas mantêm fazendeiros longe dos campos, fecham escolas, impedem a reconstrução e bloqueiam a chegada segura de ajuda humanitária.

Crianças correm um risco maior de ferimentos graves e morte, pois muitas vezes confundem os explosivos mortais com brinquedos.

“Uma mina terrestre pode destruir uma comunidade”

O ator do James Bond, Daniel Craig, que é um embaixador das Nações Unidas pela eliminação de minas e ameaças explosivas, também destacou os perigos.

“Uma mina terrestre pode destruir uma comunidade: matar um pai, uma mãe e, muitas vezes, uma criança”, disse.

Craig continuou observando que além da nova contaminação por explosivos devido a conflitos em curso, há uma contaminação antiga em lugares onde o combate acabou décadas atrás.

Por exemplo, minas terrestres e contaminação por explosivos ainda poluem faixas extensas no Vietnã, onde a guerra acabou oficialmente há mais de 45 anos, enquanto na Síria, o conflito de uma década, não só matou milhares e deslocou milhões, mas também resultou em milhares de toneladas de nova contaminação.

“A luta precisa parar. A liberação precisa começar séria e em escala”, clamou Craig.

Daniel Craig, embaixador da ONU para a Eliminação de Minas e Ameaças Explosivas.
Daniel Craig, embaixador da ONU para a Eliminação de Minas e Ameaças Explosivas.

“Vamos manter o foco”

O embaixador da ONU também convocou a todos que “façam o que puderem, em qualquer posição que ocupem”, para alcançar a visão de um mundo onde indivíduos e comunidades “vivam em lares seguros, em terrenos seguros, em ambientes seguros”.

“Vamos manter o foco”, ele clamou, convocando nações “a manterem os olhos no objetivo final de livrar o mundo de minas terrestres e dos resíduos explosivos de guerra”.

Craig também elogiou aqueles que estão trabalhando ao redor do mundo, durante a pandemia de COVID-19, para limpar e destruir centenas de milhares de explosivos em 2020, de minas terrestres a bombas não detonadas e dispositivos explosivos improvisados.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
UNMAS
United Nations Mine Action Service