Países afirmam que combate à desinformação e à hesitação de vacinas é vital para combater a COVID-19

  • Mais de 181 estados-membros manifestaram apoio ao texto “Declaração Política para Acesso Global Equitativo às Vacinas contra COVID-19”, que foi revelado num encontro informal da Assembleia Geral na última sexta-feira (2).
  • O Brasil é um dos países que redigiu e assinou o documento.
  • “Acreditamos fortemente que ´ninguém pode estar seguro enquanto todos não estiverem seguros´ e que o alcance equitativo e acessível a vacinas efetivas e seguras contra a COVID-19 deve ser garantido para uma rápida recuperação e para contribuir para colocar um fim a pandemia”, afirma o texto.
Iniciativa Verificado é apoiada por 181 estados-membros da ONU
Iniciativa Verificado é apoiada por 181 estados-membros da ONU

Mais de 181 estados-membros manifestaram apoio ao texto “Declaração Política para Acesso Global Equitativo às Vacinas contra COVID-19”, que foi revelado num encontro informal da Assembleia Geral na última sexta-feira (2). O Brasil é um dos países que redigiu e assinou o documento.

“Acreditamos fortemente que ´ninguém pode estar seguro enquanto todos não estiverem seguros´ e que o alcance equitativo e acessível a vacinas efetivas e seguras contra a COVID-19 deve ser garantido para uma rápida recuperação e para contribuir para colocar um fim a pandemia”, afirma o texto.

“Nos comprometemos a tratar a vacinação contra a COVID-19 como um bem público global ao assegurar alcance acessível, equitativo e justo de vacinas para todos”.

Enquanto se comprometem com a solidariedade e uma intensificada cooperação internacional, os países expressaram preocupação porque, apesar de todos os acordos e iniciativas internacionais, a “distribuição de vacinas contra COVID-19 ainda é desigual em todo o mundo, tanto entre os países como dentro dos países”.

“Estamos profundamente preocupados com a baixa disponibilidade de vacinas contra a COVID-19 nos países de baixa e média renda”, afirmam no documento. Eles pedem um “aumento significativo” no apoio a contratos estabelecidos pela iniciativa apoiada pela ONU de doses equitativas, a COVAX, com fabricantes de vacinas e não limitando a disponibilidade de vacinas como resultado de contratos bilaterais competitivos.

Eles também instaram o completo financiamento do Acelerador de Acesso a Ferramentas contra COVID-19 (ACT), incluindo a COVAX.

Verificado – A declaração política também incluiu um comprometimento dos países em combater a desinformação e a hesitação à vacina, desafios centrais para campanhas globais de imunização contra a COVID-19 bem-sucedidas.

Os países destacaram a importância da crescente aceitação da necessidade de populações completamente vacinadas em todo o mundo. Afirmando que irão cooperar com a iniciativa Verificado da ONU, eles pediram que o sistema das Nações Unidas ajude a combater a hesitação às vacinas em todas as partes do mundo.

Lançada em maio do ano passado, a iniciativa Verificado é destinada a promover e compartilhar conteúdo claro e convincente e conselhos baseados em fatos para combater discursos de ódio e conspiratórios e a promover a solidariedade global.

A sub-secretária-geral do Departamento de Comunicação Global da ONU, Melissa Fleming, ressaltou os esforços da Organização em vacinar o mundo e garantir que ninguém seja deixado para trás.

“As declarações endossadas pelos estados-membros reforçam o comprometimento deles com nossa iniciativa Verificado e nosso trabalho em produzir e disseminar informação real, adequada, dirigida, clara, acessível, em diversas línguas e baseada na ciência”, acrescentou.

Semana– Separadamente, a Assembleia Geral proclamou a nova Semana de Educação em Mídia Global e Informação, a ser observada anualmente entre 24 e 31 de outubro.

Em resolução adotada no dia 25 de março, a Assembleia ressaltou a importância da educação em informação e mídia para o desenvolvimento sustentável, assim como o empoderamento das pessoas. Também destacou a necessidade de dar às pessoas as ferramentas necessárias para identificar e prevenir a disseminação de desinformação, especialmente durante a pandemia da COVID-19.

A Assembleia reafirmou ainda a necessidade de garantir que a luta contra a desinformação “promova e não viole as liberdades individuais de expressão e acesso à informação”.

Leia a íntegra do documento aqui.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
ONU
Organização das Nações Unidas