Jovens são a chave para transformar os sistemas alimentares do mundo

  • Os jovens estão assumindo um papel de liderança na formação de sistemas alimentares justos e equitativos em todo o mundo, afirmaram funcionários da ONU nesta terça-feira (4) durante um diálogo global da juventude com o tema  “Boa comida para todos”.
  • As discussões online, que se concentraram em tópicos como agricultura, educação e mudança climática, servirão como contribuição direta para uma marcante Cúpula de Sistemas Alimentares da ONU, que será realizada em setembro.
  • Transformar os sistemas alimentares é fundamental para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), disse a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed. Ela destacou como “a comida é muito maior do que o que está no seu prato”, observando as principais ligações com saúde, meio ambiente e cultura.  
Oficinas em aldeias na Tanzânia reuniram agricultores locais para discutir a agricultura inclusiva e a sustentabilidade.
Oficinas em aldeias na Tanzânia reuniram agricultores locais para discutir a agricultura inclusiva e a sustentabilidade.

Os jovens estão assumindo um papel de liderança na formação de sistemas alimentares justos e equitativos em todo o mundo, afirmaram funcionários da ONU nesta terça-feira (4) durante um diálogo global da juventude com o tema  “Boa comida para todos”.

As discussões online, que se concentraram em tópicos como agricultura, educação e mudança climática, servirão como contribuição direta para uma marcante Cúpula de Sistemas Alimentares da ONU, que será realizada em setembro.

Mais do que um prato cheio

Transformar os sistemas alimentares é fundamental para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), disse a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, em uma mensagem de vídeo para o evento.

Ela destacou como “a comida é muito maior do que o que está no seu prato”, observando as principais ligações com saúde, meio ambiente e cultura.  

“Este é um desafio complexo, mas só juntos vamos transformar nossos sistemas alimentares para serem mais equitativos, inclusivos e sustentáveis ​​e cumprir os ODS até 2030”, disse ela. 

Lucro acima do propósito

A diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Henrietta Fore, explicou porque os sistemas alimentares mudam muito em um planeta onde metade das crianças não têm acesso a dietas saudáveis, em meio a um “aumento preocupante” de sobrepeso e obesidade.

“Muito frequentemente, os sistemas alimentares colocam o lucro acima do propósito. Isso coloca os alimentos mais nutritivos, muitas vezes, fora do alcance de muitas famílias”, disse ela.

“As famílias são forçadas a recorrer a alternativas pouco saudáveis ​​e comercializadas, que podem ser mais baratos e mais disponíveis. Mas também levam a resultados nutricionais ruins, ameaçando o desenvolvimento e o crescimento das crianças e - nos piores casos - a própria sobrevivência”.

COVID-19 e o aumento da fome

A Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU é organizada em torno de cinco “Linhas de Ação” para promover iniciativas como o aumento da produção de alimentos “positivos para a natureza” e a mudança para padrões de consumo sustentáveis.

Janya Green, dos Estados Unidos, é co-presidente do "Linha de Ação 1" para jovens, que foca na garantia de acesso a alimentos seguros e nutritivos para todos. Ela trabalha em hortas comunitárias desde os 12 anos. “Como todos sabem, a fome em todo o mundo é um grande problema. O número de pessoas subnutridas continuou a aumentar em 2019. Mesmo antes da COVID-19, era previsto que a fome aumentaria. Se não revertermos essas tendências atuais, a meta de fome zero dos ODS não será atingida”, alertou.

“O futuro é a juventude”

A pandemia expôs desigualdades profundamente enraizadas, inclusive nos sistemas alimentares, observou a vice-secretária-geral da ONU. Embora os jovens estejam entre os mais atingidos, Mohammed disse que eles também têm sido resilientes, convertendo desafios em oportunidades.

A enviada especial do secretário-geral da ONU para a Cúpula de Sistemas Alimentares, Agnes Kalibata, enfatizou que seria impossível realizar o evento sem envolver os jovens.

A Sra. Kalibata, que é de Ruanda, lembrou que os jovens representam 77 por cento da população total da África e cerca de 50% da população global.

 “Isso é sobre o futuro”, disse ela. “O futuro é a juventude. O futuro do nosso mundo é a nossa juventude”.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
ONU
Organização das Nações Unidas
UNICEF
Fundo das Nações Unidas para a Infância