Notícias

Com financiamento da ONU, laboratório brasileiro amplia produção de testes de COVID-19

16 julho 2021


Foto: © Os países de renda alta fazem até 60 vezes mais testes de COVID-19 do que as nações menos desenvolvidas

A produção de testes rápidos de COVID-19 será ampliada de forma intensa na América Latina e na África, graças a investimentos feitos pela agência Unitaid, que pertence à Organização Mundial da Saúde (OMS), em parceria com a aliança global para diagnósticos (FIND).

O anúncio foi feito na quinta-feira (15), em Genebra, e um laboratório brasileiro será responsável por parte do acordo. A Wama Diagnóstica, com sede na cidade de São Carlos, vai receber a tecnologia para a produção e ficará responsável por fornecer os testes de antígeno à América Latina e Caribe.

Brasil e América Latina - Segundo a Unitaid, o laboratório começará por produzir 500 mil testes por mês, mas o volume mensal de testes para a região poderá chegar a 4 milhões por mês, com um preço máximo de 2 dólares por unidade. 

Todos os 144 países da América Latina e Caribe serão beneficiados, sendo que o acordo prevê que o Brasil receba, no máximo, 50% do volume. Os testes estarão disponíveis no começo de 2022.  

Segundo a Unitaid, os países de renda alta fazem até 60 vezes mais testes de COVID-19 do que as nações menos desenvolvidas.

"Ampliar a produção a nível regional é essencial para garantir que as nações de rendas baixa e média possam ter programas de testagem eficientes e assim, conter o vírus", explica Herve Verhoosel, porta-voz da Unitaid.

Outros acordos - Além da participação da brasileira, o acordo envolve também o Instituto Pasteur de Dakar, no Senegal, que deverá produzir, por mês, 2,5 milhões de testes rápidos de COVID-19 para o continente africano. Outra parceria entre a Viatris, da África do Sul, e a Guangzhou Wondfo Biotech, da China, foi apoiada para permitir a comercialização e distribuição de testes de alta qualidade em países de baixa e média renda.

Os acordos seguem a chamada aberta lançada no ano passado pela FIND e Unitaid em nome do Acelerador de Acesso às Ferramentas COVID-19 (ACT), para impulsionar o acesso equitativo a testes rápidos para COVID-19.

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde divulgou novas diretrizes sobre estratégias para a testagem do vírus SARS-CoV-2, ressaltando a importância dos países fornecerem testes rápidos de alta qualidade. Segundo a OMS, eles continuam sendo o primeiro diagnóstico de detecção do coronavírus, principalmente onde os testes moleculares não estão disponíveis.

Sobre a Unitaid - A Unitaid é uma agência global de saúde empenhada em encontrar soluções inovadoras para prevenir, diagnosticar e tratar doenças de forma mais rápida, econômica e eficaz em países de baixa e média renda. Seu trabalho inclui iniciativas de financiamento para abordar as principais doenças, como HIV / AIDS, malária e tuberculose, bem como co-infecções e comorbidades por HIV, como câncer cervical e hepatite C, e áreas transversais, como o controle da febre.

A Unitaid agora está aplicando sua experiência para enfrentar os desafios no avanço de novas terapias e diagnósticos para a pandemia COVID-19, atuando como um membro-chave do Acelerador de Acesso às Ferramentas COVID-19 (ACT). Unitaid é patrocinado pela Organização Mundial da Saúde.

Com financiamento da ONU, laboratório brasileiro amplia produção de testes de COVID-19

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

UNAIDS
Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/SIDA
OMS
Organização Mundial da Saúde

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa