Notícias

Prêmio reconhece iniciativas que promovem autonomia econômica de mulheres rurais

22 outubro 2021

Mulheres produzem metade dos alimentos no mundo, no entanto, detém menos de 15% das terras. Em reconhecimento à importância dessas trabalhadoras, a Embaixada da Espanha, em parceria com IICA, FAO e ONU Mulheres, lança o Prêmio Mulheres Rurais.  

A iniciativa premia conquistas de mulheres rurais e as soluções inovadoras empreendidas por elas para o bem-estar de suas famílias, organizações e comunidades. As inscrições estão abertas e se estendem até o dia 30 de dezembro de 2021. 

Podem se inscrever iniciativas de coletivos de mulheres de qualquer lugar do Brasil que promovam a autonomia econômica das mulheres rurais. A premiação será realizada no Dia Internacional da Mulher, em 2022.

Legenda: Maria da Sena Araujo e sua família cuidam de uma safra de batatas
Foto: © Scott Wallace/Banco Mundial

Lançado no Dia Internacional da Mulher Rural, 15 de outubro, o Prêmio Mulheres Rurais reconhece o trabalho de coletivos e dá visibilidade às mulheres do campo. O foco são as conquistas das mulheres rurais (agricultoras, pescadoras, apicultoras, extrativistas, entre outras) e as soluções inovadoras empreendidas por elas para o bem-estar de suas famílias, organizações e comunidades. 

O lançamento do prêmio contou com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, além de outras autoridades no tema. As inscrições abriram em 15 de outubro e se estendem até o dia 30 de dezembro de 2021. Podem se inscrever iniciativas de coletivos de mulheres de qualquer lugar do Brasil que promovam a autonomia econômica das mulheres rurais.

Serão classificados e premiados três projetos de dez iniciativas finalistas. Detalhes sobre iniciativas habilitadas a concorrer ao prêmio, regras, comissão julgadora e premiação estão disponíveis na convocatória disponível aqui.

A premiação é uma iniciativa do Escritório de Agricultura, Pesca e Alimentação da Embaixada da Espanha no Brasil, desenvolvida em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a ONU Mulheres. Conta com apoio, também, do MAPA, da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OIE), do Serviço Social do Comércio (Sesc) e da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (ASBRAER). 

Força feminina - As mulheres produzem a metade dos alimentos no mundo, entretanto possuem menos de 15% das terras. Elas representam 43% da mão-de-obra agrícola no mundo, com uma grande diversidade, incluindo indígenas, afrodescendentes, quilombolas, camponesas, pescadoras, artesãs, migrantes, jovens, adultas, idosas, empreendedoras, dentre outras.

O objetivo da premiação é chamar a atenção para a importância de promover a igualdade de gênero na ruralidade, aumentar a visibilidade da mulher rural e reconhecer a diversidade como matriz do desenvolvimento econômico, social e cultural e para o bem-estar no campo e garantia da segurança alimentar e nutricional.

“Eu que sou produtora rural sei o quanto temos que nos empenhar. Além de cuidar de nossas famílias, casa e filhos, cuidamos também da produção de alimentos, fibras e energia, gerando emprego e renda”, disse a ministra Tereza Cristina, que participou no evento de lançamento, ao agradecer às instituições organizadoras do concurso. 

“Sem dúvida as mulheres no campo têm um papel fundamental para reduzir a pobreza e a insegurança alimentar e nutricional, como hoje aqui reconhecemos”, acrescentou.

“Com essa premiação, queremos reconhecer e incentivar a autonomia econômica das mulheres rurais a partir de iniciativas que fortaleçam os sistemas alimentares locais e que contribuam para a geração de renda, cuidado com a preservação ambiental, da biodiversidade e incentivar o desenvolvimento rural sustentável”, afirmou o embaixador da Espanha no Brasil, Fernando Garcia Casas.

“As mulheres agricultoras são tão produtivas e empreendedoras quanto os homens, mas nem sempre conseguem obter preços comparativos para as suas culturas e acesso a terra, insumos agrícolas e mercados”, destacou Anastasia Divinskaya, representante no Brasil da ONU Mulheres.

Hoje celebramos o Dia Internacional da Mulher Rural e amanhã o Dia Mundial da Alimentação, que são datas muito importantes no contexto da pandemia, principalmente quando olhamos para as populações mais impactadas no qual as mulheres estão duramente inseridas”, lembrou Rafael Zavala, representante da FAO no Brasil, ao chamar a atenção da importância do concurso.

Em sua apresentação Voz das Mulheres Rurais – Importância do seu Protagonismo e Visibilização para a Agricultura Brasileira, Vânia Lúcia Pereira da Silva, do Café Feminino, Agricultura Orgânica e também presidente da Cooperativa dos Agricultores Familiares do Poço Fundo e Região (Coopfam) disse que “sua missão é inspirar outras mulheres a buscarem seus espaços dentro de fora de suas propriedades rurais”, ao relatar a sua própria experiência como produtora rural.

“Vivemos um ciclo de profundas transformações em nossa sociedade com a mulher como agente de mudança, o que é cada vez mais evidente. A autonomia econômica e políticas das mulheres rurais é essencial para garantir a segurança alimentar e nutricional, mas elas precisam aumentar a sua participação nos espaços decisórios, com acesso a crédito, terra, saúde, educação, mercado, conectividade rural, tecnologia e dignidade para transformar e construir, neste pós-pandemia, uma ruralidade diferente”, encerrou Gabriel Delgado, representante do IICA no Brasil, que moderou o evento de lançamento do Prêmio.

* O Prêmio Mulheres Rurais – Espanha Reconhece conta com patrocínio das empresas espanholas INDRA, ACCIONA, MAPFRE, JOSEP LLORENS e CMR Fruits.

  • Prazo de Inscrições: de 15 de outubro a 30 de dezembro de 2021
  • Premiação: 08 de março de 2022
  • Para mais informações e submissão de candidaturas, acesse aqui

Contatos para a imprensa:

Prêmio reconhece iniciativas que promovem autonomia econômica de mulheres rurais

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

FAO
Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura
ONU Mulheres
Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e Empoderamento da Mulher

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa