Notícias

ACNUR saúda Roraima por criação de comitê de atenção a refugiados

24 junho 2022

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) parabenizou Roraima pela criação do Comitê Intersetorial de Atenção aos Migrantes, Apátridas e Refugiados, em 21 de junho.

Lançada na semana em que se observa o Dia Mundial do Refugiado, a iniciativa liderada pela Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social de Roraima promete ser um importante instrumento para integração e proteção de pessoas forçadas a se deslocar para a região.

Participaram do evento os principais atores da resposta humanitária no estado e autoridades locais de Roraima, que tem sido o principal ponto de entrada de pessoas refugiadas no Brasil nos últimos anos.

 

Secretária Tânia Soares assina documento de criação do comitê responsável por idealizar políticas públicas para pessoas refugiadas, migrantes e apátridas
Legenda: Secretária Tânia Soares assina documento de criação do comitê responsável por idealizar políticas públicas para pessoas refugiadas, migrantes e apátridas.
Foto: © Camila Ignacio Geraldo/ACNUR

O chefe do escritório da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em Roraima, Oscar Sanchez, parabenizou a decisão do estado de fundar o Comitê Intersetorial de Atenção aos Migrantes, Apátridas e Refugiados. Presente no lançamento da iniciativa, em 21 de junho, ele reforçou a importância da ação:

“Hoje, Roraima se junta a diversos estados brasileiros que estabeleceram espaços multilaterais para a implementação de ações referentes a pessoas refugiadas, migrantes e apátridas”, pontuou. “Enquanto política setorial, tal ação possibilita tratar o diferente de forma diferente para possibilitar acesso iguais a direitos e serviços – o que gera desenvolvimento para a sociedade como um todo.”

Idealizado como um instrumento de integração social, econômica e familiar, o comitê foi lançado justamente na semana em que se observa o Dia Mundial do Refugiado, celebrado em 20 de junho, período em que pessoas e organizações se unem para falar sobre a importância de proteção, acolhimento e reconhecimento de pessoas refugiadas e migrantes, sem distinções e discriminações. 

Participaram do evento os principais atores da resposta humanitária no estado e autoridades locais de Roraima, que tem sido o principal ponto de entrada de pessoas refugiadas no Brasil nos últimos anos.

“A criação deste comitê é uma ação que Roraima considera prioritária, pois pessoas refugiadas, migrantes e apátridas precisam alcançar programas sociais e econômicos”, afirmou a secretária da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social de Roraima (SETRABES),  Tânia Soares. O órgão vai liderar o comitê, formado por diversas secretarias e instituições estaduais, além de organizações não-governamentais e internacionais. 

“Muitos tópicos e pastas de diferentes secretarias são parte do processo, mas a SETRABES fará esse papel por principalmente criar instrumentos para trabalho, emprego e renda, algo fundamental quando falamos de refugiados, migrantes e apátridas”, acrescentou.

Futuro - Entre os próximos passos do comitê estão o reconhecimento de ações específicas para este público alvo e a articulação de ações intersetoriais, capazes de integrar as esferas de governo. “Sabemos que em nosso estado existem mais de 90 mil pessoas que são refugiadas e migrantes. Por isso, toda administração deve considerar esse público no momento da gestão”, discursou Soares.

Sanchez aprovou a parceria: “Já fazemos parte da família SETRABES, pois estamos em um espaço cedido no edifício da secretaria. O ACNUR reforça seu compromisso em continuar apoiando as instituições locais em suas ações para o acolhimento e provimento de soluções para a população refugiada e migrante no estado de Roraima, atuando em benefício tanto desse grupo quanto da população roraimense que vem acolhendo refugiados e migrantes que se estabeleceram”.

ACNUR saúda Roraima por criação de comitê de atenção a refugiados

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ACNUR
Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa