“Enquanto aprendo, sei que estou indo bem”

Jovem do Centro de Detenção Provisória participa de oficina de costura, parceria entre Fundo de População da ONU e governo do Amazonas.

Quando soube que haveria uma oficina de costura para as mulheres no Centro de Detenção Provisória de Manaus, A. B. P, de 19 anos, animou-se imediatamente. Ela foi uma das 14 escolhidas para um projeto, feito em parceria entre Fundo de População da ONU e a Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas, que busca incentivar novas habilidades de mulheres em custódia por meio da produção de máscaras de tecido para a prevenção da COVID-19. A jovem, ex-estudante de pedagogia, viu ali uma chance.

“Muitas vezes tomamos atitudes desnecessárias na vida e acabamos no calabouço. Tomei decisões precipitadas e vim parar aqui. Porém, hoje em dia, estou dando o máximo de mim mesma para melhorar e aprender novas coisas. Quero mostrar que eu posso, que eu consigo”, explica.

A. B. P preocupa-se com a mãe e a avó, ambas idosas. Com a pandemia, as visitas semanais foram suspensas e substituídas por ligações telefônicas. Em um momento de bastante apreensão, a oficina de costura permitiu-lhe a retomada de um processo fundamental: sonhar.

“É uma nova experiência, algo que eu poderia levar para fora. Eu achei muito interessante, quando vejo que estou me envolvendo, me surpreende. Já quero aprender a costurar calcinha, sutiã, até minha própria roupa. Gosto de estudar, de aprender. Por meio desse curso, enquanto aprendo, sei que estou indo bem”, conclui.

"Gosto de estudar, de aprender. Por meio desse curso, enquanto aprendo, sei que estou indo bem”, afirma a jovem.
"Gosto de estudar, de aprender. Por meio desse curso, enquanto aprendo, sei que estou indo bem”, afirma a jovem.

A oficina de costura organizada pela Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas teve todos os equipamentos e materiais doados pelo Fundo de População da ONU. As máscaras confeccionadas são aproveitadas pelo próprio sistema penitenciário e pelas equipes de Assistência Humanitária do UNFPA. Por meio do projeto, as mulheres podem ter a oportunidade de remição de pena, conforme a Lei de Execuções Penais.

A iniciativa faz parte de uma parceria maior entre UNFPA e Secretaria, que busca garantir os direitos humanos e a promoção da saúde das mulheres em custódia no Estado. Saiba mais sobre a parceria aqui.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
UNFPA
Fundo das Nações Unidas para a População