OPAS e Amapá firmam parceria para fortalecer a vigilância no estado

  • A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) tem ajudado a reforçar a capacidade laboratorial, de vigilância e assistência dos estados brasileiros, principalmente em decorrência da pandemia da COVID-19. Nesta semana (12), uma equipe da organização está em Macapá, no Amapá, para viabilizar a estruturação de um Centro de Operações de Emergência no estado.
  • A unidade, que contará com um painel de monitoramento, permitirá uma análise ainda mais qualificada dos dados de vigilância, assistência e gestão, possibilitando que os gestores tomem decisões de forma assertiva, com maior percepção de como os agravos estão ocorrendo no território.
OPAS vai apoiar o estado do Amapá capacitando profissionais de saúde para o rastreamento de contatos de pessoas com a COVID-19.
OPAS vai apoiar o estado do Amapá capacitando profissionais de saúde para o rastreamento de contatos de pessoas com a COVID-19.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) tem ajudado a reforçar a capacidade laboratorial, de vigilância e assistência dos estados brasileiros, principalmente em decorrência da pandemia da COVID-19. Nesta semana (12), uma equipe da organização está em Macapá, no Amapá, para viabilizar a estruturação de um Centro de Operações de Emergência no estado.

A unidade, que contará com um painel de monitoramento, permitirá uma análise ainda mais qualificada dos dados de vigilância, assistência e gestão, possibilitando que os gestores tomem decisões de forma assertiva, com maior percepção de como os agravos estão ocorrendo no território.

Além disso, a OPAS vai apoiar o estado capacitando profissionais de saúde para o rastreamento de contatos de pessoas com a COVID-19. Essa é uma das estratégias mais eficazes para interromper a cadeia de transmissão, usada para rastrear todos os novos casos e limitar a propagação do vírus em uma determinada região.

O consultor de Vigilância, Preparação e Resposta a Emergências e Desastres, do escritório da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Rodrigo Said, destacou a importância da parceria com o estado para fortalecimento das ações de saúde. “A instalação física do Centro de Operações de Emergência no estado será de grande importância para analisar a possibilidade de ocorrência de transmissão de outras doenças, como as arboviroses (dengue, zika e chikungunya) e doenças respiratórias, por exemplo. Dessa forma, é possível prever surtos e agir preventivamente”, destacou.

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde do estado do Amapá, Dorinalo Malafaia, o trabalho conjunto beneficiará a população amapaense. “Nós estamos muito empolgados com essa parceria com a OPAS, acreditamos que os trabalhos a serem realizados a partir dela vão trazer muitos benefícios para a população amapaense. Nós, da área de vigilância em saúde, não mediremos esforços para que se possa entregar o melhor trabalho possível para o Amapá”, pontuou o superintendente.

Centro de Operações de Emergência

O Centro de Operações de Emergência é um espaço físico que facilita a interação multissetorial para produzir cenários que permitem a tomada de decisão com base em informações qualificadas. Trata-se de um espaço físico virtual onde a informação é analisada sistematicamente por uma equipe técnica, para caracterizar a situação de saúde de uma população.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
PAHO
The Pan American Health Organization