Imprensa livre é “pedra angular” das sociedades democráticas, diz ONU

  • Em uma mensagem sobre o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, celebrado anualmente no dia 3 de maio, o secretário-geral, António Guterres, ressaltou a importância de uma informação confiável, verificada e acessível.
  • “Durante a pandemia e em outras crises, incluindo a emergência climática, jornalistas e profissionais da mídia nos ajudam a navegar por um panorama de informações em constante mudança e muitas vezes sobrecarregado, ao mesmo tempo em que abordamos imprecisões e falsidades perigosas”, disse ele. “O jornalismo livre e independente é nosso maior aliado no combate à desinformação e à má informação”.
  • A alta-comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, também destacou a importância da imprensa livre, sem censura e independente como “a pedra angular das sociedades democráticas”.
  • Este ano, o Dia Mundial tem como tema “Informação como Bem Público”, afirmando a importância da informação como bem público e explorando o que pode ser feito na produção, distribuição e recepção de conteúdos para fortalecer também o jornalismo assim como para melhorar a transparência e o empoderamento.
jornalistas em coletiva de imprensa
Marcado anualmente em 3 de maio, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa celebra os princípios fundamentais da liberdade de imprensa.

Em uma mensagem sobre o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, celebrado anualmente no dia 3 de maio, o secretário-geral, António Guterres, ressaltou a importância de uma informação confiável, verificada e acessível.

"Durante a pandemia e em outras crises incluindo a emergência climática, jornalistas e profissionais da imprensa ajudam-nos a navegar por um cenário de informações em constante mudança, ao mesmo tempo em que enfrentamos imprecisões e inverdades perigosas”, disse ele.

“O jornalismo livre e independente é nosso maior aliado no combate à desinformação e à má informação”, completou.

Guterres também observou os riscos pessoais que jornalistas e profissionais da mídia enfrentam, incluindo restrições, censura, abuso, assédio, detenção e até morte, “simplesmente por fazerem seu trabalho”, e que a situação continua a piorar.

O impacto econômico da pandemia de coronavírus atingiu duramente muitos meios de comunicação, ameaçando a própria sobrevivência deles, acrescentou.

“À medida que os orçamentos apertam, estreita-se também o acesso a informações confiáveis. Rumores, informações falsas e opiniões extremas ou divisivas surgem para preencher este espaço.”, disse o secretário-geral, pedindo a todos os governos a “fazerem tudo ao seu alcance para apoiar uma mídia livre, independente e diversa”.

Contribuindo para o bem-estar da humanidade - A alta-comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, também destacou a importância da imprensa livre, sem censura e independente como “a pedra angular das sociedades democráticas”, transmitindo informações que salvam vidas, melhorando a participação pública e fortalecendo a responsabilidade e o respeito pelos direitos humanos.

“Em todo o mundo, as pessoas têm, cada vez mais, ido às ruas para exigir seus direitos econômicos e sociais, assim como o fim da discriminação e do racismo sistêmico, da impunidade e da corrupção”, disse ela.

No entanto, os jornalistas que cumprem seu papel fundamental de noticiar esses protestos sociais se tornaram alvos, com muitos se tornando vítimas do uso desnecessário e desproporcional da força, prisões arbitrárias e processos criminais, acrescentou Bachelet.

Além de dissuadir outros jornalistas de relatar criticamente sobre questões relevantes, tais ataques enfraquecem o debate público e dificultam a capacidade da sociedade de responder efetivamente aos desafios, incluindo a COVID-19 , disse ela.

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa -  Marcado anualmente em 3 de maio, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa celebra os princípios fundamentais da liberdade de imprensa. É também uma ocasião para avaliar a liberdade de imprensa em âmbito global, para defender a mídia de ataques à sua independência e prestar homenagem a jornalistas que perderam a vida no exercício da profissão.

A data marca a adoção da histórica Declaração de Windhoek para o Desenvolvimento de uma Imprensa Livre, Independente e Pluralística em uma conferência da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na capital da Namíbia, em 1991.

Este ano, o Dia Mundial tem como tema “Informação como Bem Público”, afirmando a importância da informação como bem público e explorando o que pode ser feito na produção, distribuição e recepção de conteúdos para fortalecer também o jornalismo assim como para melhorar a transparência e o empoderamento.

Ajudando plataformas a se tornarem mais transparentes - O tema está relacionado com o trabalho da UNESCO para garantir a saúde a longo prazo do jornalismo independente e plural e a segurança dos trabalhadores da mídia em todos os lugares, disse a diretora-geral da agência da ONU encarregada de defender a liberdade de imprensa, Audrey Azoulay.

“Como parte desses esforços, estamos trabalhando para criar mais transparência nas plataformas online em áreas como moderação de conteúdo, respeitando os direitos humanos e as regras internacionais de liberdade de expressão”, disse Azoulay.

Ela também destacou o trabalho da agência para equipar as pessoas em todo o mundo com as habilidades de alfabetização midiática e informacional que precisam para navegar neste novo panorama da informação, de modo que possam evitar serem enganadas ou manipuladas online.

“Ao comemorar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, eu peço a todos para que renovem seu compromisso com o direito fundamental à liberdade de expressão, para defender os trabalhadores da mídia e se juntar a nós para garantir que a informação continue sendo um bem público”, acrescentou Azoulay.

Confira a íntegra do discurso do secretário-geral.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
ACNUDH
Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos
ONU
Organização das Nações Unidas
UNESCO
Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura