Premiada pela ONU, empresária de Uganda funda cooperativa local e empodera mulheres

  • A empresária ugandense Julian Omalla é um exemplo de empoderamento de mulheres. Depois de levar um golpe do ex-sócio, ela recomeçou com suas economias e é hoje uma das empreendedoras mais reconhecidas em seu país e foi homenageada com um prêmio pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento.
  • Hoje, Omalla possui uma marca de sucos reconhecida com cinco milhões de clientes e se orgulha de gerar empregos novos e decentes, principalmente as mulheres que trabalham na cooperativa que fundou.
  • “Acho que o motivo do nosso sucesso é o nosso envolvimento com a comunidade. As pessoas no norte de Uganda sofreram muito durante a guerra civil, e acredito que nosso sucesso as ajudará a se empoderar e a sobreviver”, conta a empresária.
A empresária de Uganda Julian Omalla construiu um negócio de sucos naturais com mais de cinco milhões de clientes.

A empresária ugandense Julian Omalla, amplamente conhecida como 'Mama Cheers' em homenagem à popular marca de suco Cheers que sua empresa produz, é um exemplo de empoderamento de mulheres. Ela é hoje uma das empreendedoras mais reconhecidas em seu país e foi homenageada com um prêmio pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) depois que transformou sua pequena empresa em um negócio nacional com cinco milhões de clientes.

“Quando lancei minha empresa, Delight Uganda Limited, em 1996, eu não sabia muito sobre como administrar um negócio. Comecei do zero e tive que superar muitos desafios”, conta Omalla.

Ela lembra que precisava andar muitos quilômetros em estradas ruins e trabalhar de manhã até à noite no pomar. Quando estava ainda começando, seu sócio fugiu com todo o dinheiro que havia levantado para comprar ações e ela ficou apenas com um carrinho de mão para levar frutas ao mercado e um vestido vermelho.

“Não consegui nenhum banco para financiar meu negócio, porque não tinha nenhuma garantia, então levantar fundos para expandir foi uma tarefa árdua”, explica a empresária. “Como a maioria das mulheres em Uganda, tive que contar com economias e investir meus lucros de volta na empresa”.

Uma empresária nata - Quatro anos depois, Omalla ingressou no programa da UNCTAD para empreendedores, o que a ajudou a desenvolver e executar meu plano de crescimento de negócios. O curso melhorou sua autoconfiança e ensinou novas habilidades, como estabelecimento de metas, contabilidade, marketing, estabelecimento de metas e organização do trabalho.

“Isso me fez perceber que sou uma empresária nata”, afirma a 'Mama Cheers'.

Ao longo dos anos, ela manteve contato com seus treinadores e foi aprimorando suas habilidades empreendedoras. Omalla conta que nunca deixou de fazer perguntas e tirar dúvidas para ajudar a melhorar seu negócio, mesmo nos finais de semana.

Graças à sua determinação e às habilidades que aprendeu com a UNTAD, a Delight Uganda chegou a ter 60% do mercado de sucos em Uganda, com uma linha de processamento que produzia 12.000 litros de bebidas com sabor de frutas por dia. Além disso, Omalla diversificou a empresa para outras atividades de negócios, como avicultura, produção de ração para milho, moinho de farinha e padaria.

Compartilhando o sucesso – Antes a empresa costumava ter suco concentrado como principal produto, uma vez que era difícil obter frutas frescas de alta qualidade cultivadas localmente. Mas, em 2011, a Delight Uganda adquiriu 1.700 hectares de terra para o cultivo de árvores frutíferas, como manga, goiaba e cítricos, e organizou a Nwoya Fruit Growers Cooperative, que conta com 5.000 associados, sendo 3.750 mulheres.

“Cada uma dessas mulheres tem pelo menos um acre de pomar de frutas consorciado com safras sazonais de curto prazo para obter renda e sustentabilidade. Em uma temporada, eles podem ganhar até 1.850 dólares com um acre de terra”, conta Omalla, que se orgulha de criar empregos novos e decentes e oferecer melhores condições de vida para muitos.

Nova fábrica, novos horizontes - Este ano, a empresa recebeu 10 milhões de dólares em financiamento do governo de Uganda, o que permitirá construir uma moderna fábrica de sucos frescos, permitindo agregar valor às frutas cultivadas pelos agricultores locais e atender à crescente demanda do mercado por frutas secas, especialmente mangas.

“Ganhar o prêmio da UNCTAD me motivou muito!”, afirma a empresária, que pretende criar um centro de excelência, onde acadêmicos possam compartilhar seus conhecimentos, ajudando as empresas de Uganda a atingir padrões internacionais e exportar seus produtos para todos os cantos do mundo.

“Acho que o motivo do nosso sucesso é o nosso envolvimento com a comunidade. As pessoas no norte de Uganda sofreram muito durante a guerra civil, e acredito que nosso sucesso as ajudará a se empoderar e a sobreviver”, conta.

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
UNCTAD
Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento