Notícias

UNICEF: mais de 600 milhões de crianças ainda são afetadas pelo fechamento de escolas

27 julho 2021

  • Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o fechamento de escolas representou a substituição de uma cultura de “segurança, amigos e comida” na escola por “ansiedade, violência e gravidez na adolescência”, com o aprendizado remoto fora do alcance de pelo menos um terço das crianças em idade escolar em todo o mundo.
  • De acordo com a agência, mais de 600 milhões de crianças em países que não estão em férias acadêmicas ainda são afetadas pelo fechamento de escolas.
  • Em quase metade dos países da Ásia e do Pacífico, as escolas estão fechadas há cerca de 200 dias. A América Latina e o Caribe viram alguns dos fechamentos mais longos de todos os tempos, com 18 países e territórios afetados por fechamentos totais ou parciais. Na África Oriental e Meridional, a agência estima que 40% de todas as crianças com idade entre 5 e 18 anos estão fora da escola hoje.
  • O UNICEF pediu esforço para a reabertura das escolas e a garantia dos investimento em educação. “Tudo precisa ser feito para acabar com a pandemia”, disse o porta-voz da agência, ao pedir também a distribuição equitativa de vacinas. 
Legenda: Mais de 600 milhões de crianças em todo o mundo ainda são afetadas pelo fechamento de escolas
Foto: © Pablo Schverdfinger/UNICEF

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o fechamento de escolas representou a substituição de uma cultura de “segurança, amigos e comida” na escola por “ansiedade, violência e gravidez na adolescência”, com o aprendizado remoto fora do alcance de milhões. A declaração foi dada em um coletiva de imprensa do porta-voz da agência em Genebra, na terça-feira (27).

Devido à pandemia da COVID-19, “mais de 600 milhões de crianças em países que não estão em férias acadêmicas ainda são afetadas pelo fechamento de escolas”, afirmou o porta-voz do UNICEF, James Elder.

Em países como Uganda, isso levou a um aumento de 20% nos últimos 15 meses na gravidez de adolescentes, ou gravidez de meninas de 10 a 24 anos de idade, que buscavam atendimento pré-natal.

“Em todo o mundo, em todos os continentes, vimos linhas de ajuda para crianças, um bom precursor para entender as crianças que estão relatando violência, que frequentemente teve aumentos de três dígitos”, disse Elder.

Fechamento de escolas pela COVID-19 - Em quase metade dos países da Ásia e do Pacífico, as escolas estão fechadas há cerca de 200 dias. A América Latina e o Caribe viram alguns dos fechamentos mais longos de todos os tempos, com 18 países e territórios afetados por fechamentos totais ou parciais. Na África Oriental e Meridional, a agência estima que 40% de todas as crianças com idade entre 5 e 18 anos estão fora da escola hoje.

“Se esses números não tiverem efeito nos que estão no poder, há também um relatório do Banco Mundial que estima uma perda de 10 trilhões de dólares em ganhos ao longo do tempo (para esta geração de estudantes)”, acrescentou Elder.

Aprendizagem remota “fora de alcance” - Igualmente alarmante é o fato de que a solução de aprendizagem remota está “simplesmente fora do alcance” de pelo menos um terço das crianças em idade escolar em todo o mundo, continuou o porta-voz do UNICEF.

No Leste Asiático e no Pacífico, 80 milhões de crianças não têm acesso a nenhum tipo de aprendizagem remota. Na África Oriental e Meridional, as crianças em idade escolar de Uganda ficaram mais de 300 dias fora da escola, enquanto a conectividade doméstica com a Internet é a mais baixa do planeta com cerca de 0,3%.

“A situação não pode continuar” - Em um chamado à ação, o UNICEF apelou para cinco etapas principais: as escolas devem reabrir o mais rápido possível; governos e doadores devem proteger o orçamento da educação; as matrículas devem ser estendidas a crianças que já estavam fora da escola antes da COVID-19 - removendo as barreiras financeiras e afrouxando os requisitos de registro - e as transferências de dinheiro para os mais vulneráveis ​​devem ser aumentadas.

“Tudo precisa ser feito para acabar com a pandemia”, disse o Elder, começando com a disponibilização de vacinas em todos os lugares, compartilhando o excesso de doses e financiamento para apoiar a distribuição das vacinas.

UNICEF: mais de 600 milhões de crianças ainda são afetadas pelo fechamento de escolas

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

UNICEF
Fundo das Nações Unidas para a Infância

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa