Notícias

ONU-Habitat amplia áreas de estudo e inicia projetos na região lagunar de Maceió

15 março 2022

A região lagunar da capital de Alagoas passou a ser um dos focos de estudo do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat).

Em parceria com o Governo do Estado, a equipe técnica do projeto Visão Alagoas 2030 começou a desenvolver, em campo, um mapeamento que vai coletar diversos dados sobre a vivência nos assentamentos precários da orla lagunar da cidade. Mais de 29 mil pessoas participarão de pesquisa.

A metodologia utilizada é a mesma aplicada nas cem grotas de Maceió: o Mapa Rápido Participativo, conhecido como MRP. O levantamento é o primeiro realizado pelo ONU-Habitat na região e vai abranger especialmente os bairros do Bom Parto, Levada, Vergel do Lago e Trapiche da Barra.

Legenda: Projetos também envolvem a coleta de percepções dos moradores sobre o território em que vivem
Foto: © Minne Santos

A região lagunar da capital de Alagoas passou a ser um dos focos de estudo do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). Em parceria com o Governo do Estado, a equipe técnica do projeto Visão Alagoas 2030 começou a desenvolver, em campo, um mapeamento que vai coletar diversos dados sobre a vivência nos assentamentos precários da orla lagunar da cidade.

A metodologia utilizada é a mesma aplicada nas cem grotas de Maceió: o Mapa Rápido Participativo, conhecido como MRP. O levantamento é o primeiro realizado pelo ONU-Habitat na região e vai abranger especialmente os bairros do Bom Parto, Levada, Vergel do Lago e Trapiche da Barra.

Nas ruas e com um caderno de campo em mãos, o corpo técnico do Programa já começou a colher informações sobre a cobertura e a qualidade de infraestrutura e dos serviços públicos relacionados ao local. 

“No projeto, são analisados temas como melhorias urbanas e riscos ambientais, incluindo dados sobre infraestrutura para mobilidade, acesso aos meios de transporte, padrão das moradias, abastecimento de água, esgotamento sanitário, coleta de lixo e limpeza urbana, entre outros. Por meio dessa metodologia, já temos fornecido dados que auxiliam o Estado no processo de implementação de melhorias estruturantes em diversos assentamentos, como os beneficiados pelo programa Vida Nova nas Grotas”, explica o analista de Dados do ONU-Habitat, Harlan Silva. 

Além do MRP, a equipe do ONU-Habitat também vai iniciar, em breve, a aplicação do Perfil Socioeconômico. A metodologia envolve uma pesquisa domiciliar na região sobre temas como educação, renda, trabalho, esporte, cultura, lazer, acesso a serviços públicos, habitação, saúde, violência e outros. Juntos, os projetos vão diagnosticar a situação sociodemográfica e econômica das famílias, a mobilidade residencial e o acesso a equipamentos e serviços na comunidade.

Legenda: Após a coleta, os dados serão tratados e encaminhados ao Governo do Estado para que possam ser utilizados no aprimoramento de políticas públicas
Foto: © Minne Santos

“Ambos complementam o trabalho de coleta de dados e informações que temos desenvolvido nos principais assentamentos precários de Maceió e devem contribuir muito para que a gente tenha uma leitura mais integrada e completa do município. Agora, estamos ampliando o campo de estudo e cobrindo toda a grande área da orla lagunar para que o poder público consiga atuar com mais precisão na região”, afirma o analista.

A expectativa é que, com a iniciativa, o ONU-Habitat consiga cobrir uma área de aproximadamente 114 hectares, colhendo percepções de mais de 29 mil pessoas sobre o território em que vivem. 

Para o coordenador de Programas do ONU-Habitat, Alex Rosa, a obtenção de informações detalhadas sobre os territórios urbanos que concentram moradias precárias e vulnerabilidade social é de fundamental importância para o desenho de políticas públicas sob medida, orientando investimentos de forma mais efetiva.

“Esta prática, à medida em que é incorporada pelas diversas instâncias de governo, qualifica a ação pública para o enfrentamento dos problemas urbanos. É deste modo que teremos as condições de reduzir as desigualdades nas cidades”, pontua Rosa.

Contato para imprensa: Minne Santos – jessamine.dossantos@un.org 

ONU-Habitat amplia áreas de estudo e inicia projetos na região lagunar de Maceió

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ONU-HABITAT
Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa