Notícias

Saiba como a FAO ajuda as pessoas antes, durante e depois de emergências

24 maio 2022

Desastres, como um terremoto ou um violento golpe de Estado, podem ocorrer de repente, ou como secas e enchentes, podem se desenvolver lentamente. Esses tipos de emergências são devastadores para as pessoas em todos os lugares, mas para aqueles cujos meios de subsistência ou necessidades alimentares dependem inteiramente da agricultura e dos recursos naturais, esses desastres geralmente são ainda mais urgentes.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) ajuda as comunidades a lidarem com emergências de várias maneiras, desde ações antecipadas e preparação até a reconstrução dos meios de subsistência, tornando as comunidades mais resilientes.

Foto: © Telcínia Nhantumbo/FAO

Desastres, como um terremoto ou um violento golpe de Estado, podem ocorrer de repente, ou como secas e enchentes, podem se desenvolver lentamente. Esses tipos de emergências são devastadores para as pessoas em todos os lugares, mas para aqueles cujos meios de subsistência ou necessidades alimentares dependem inteiramente da agricultura e dos recursos naturais, esses desastres geralmente são ainda mais urgentes.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) ajuda as comunidades a lidarem com emergências de várias maneiras, desde ações antecipadas e preparação até a reconstrução dos meios de subsistência, tornando as comunidades mais resilientes.

Aqui estão cinco maneiras pelas quais a FAO ajuda as pessoas antes, durante e após situações de emergência:

1. Ação antecipada

Muitas crises, como desastres naturais, são em grande parte inevitáveis, mas há muito que pode ser feito desde o início para mitigá-las. Por exemplo, em julho de 2020, quando especialistas detectaram um risco de inundações em massa nas comunidades de Bangladesh ao longo do rio Jamuna, a FAO trabalhou rapidamente com parceiros para protegê-los dos impactos, fornecendo a essas comunidades recipientes de tambor de armazenamento à prova de enchentes que ajudaram a manter suas sementes, grãos, ferramentas e itens essenciais seguros.

Nos primeiros dias de enchentes, quando seu poço foi inundado com água suja, Kokila Akhter também usou o contêiner de armazenamento da FAO para outra função. Kokila estava grávida de três meses e sua saúde era mais importante do que nunca. “Guardei água potável no tambor para beber e cozinhar. Beber água potável me ajudou a me manter saudável durante a gravidez”, disse ela.

2. Investimento em pessoas e economias locais

Transferência de dinheiro, esquemas de vouchers e programas de trabalho temporário remunerado permitem que as pessoas identifiquem por si mesmas quais são suas necessidades mais urgentes e decidam quais bens e serviços desejam comprar nos mercados locais. Esses programas podem fortalecer rapidamente a segurança alimentar e nutricional de populações vulneráveis em tempos de estresse.

Uma mulher chefe de família que recentemente se beneficiou deste tipo de apoio da FAO no Afeganistão, contou que isto a ajudou a sobreviver durante os tempos difíceis provocados pela pandemia de COVID-19.

“Nosso problema é que não podemos comprar comida ou outros bens essenciais. O dinheiro dado pela FAO foi usado para comprar arroz e material escolar para meus netos”, explicou.

Até agora, em 2021, a FAO apoiou cerca de 200.000 famílias altamente vulneráveis no Afeganistão com transferências de dinheiro e esquemas de trabalho remunerado.

3. Ajudar as pessoas a se sustentarem

Muitas vezes, em crises ou desastres naturais, as pessoas perdem suas terras, gado, equipamentos agrícolas ou outros bens, dificultando o reinício de suas vidas.

Antes, durante e depois de uma emergência, a FAO distribui kits agrícolas para que os agricultores possam começar a cultivar alimentos novamente e recuperar a renda.

A Organização também fornece vacinas ou outros serviços veterinários para proteger o gado, outra parte importante da subsistência de muitas pessoas.

Quando enchentes destrutivas e enxames de gafanhotos vorazes do deserto atingiram a Somália no ano passado, a FAO interveio para colocar as pessoas de pé novamente.

Agricultores como Iraado Amir Omar não apenas receberam apoio em dinheiro da FAO para atender às suas necessidades imediatas, mas também sementes e ferramentas para retomar a produção agrícola e sustentar sua lavoura a longo prazo.

“As sementes chegaram quando mais precisávamos. Não tenho dinheiro para comprar sementes, mas pelo menos já posso plantar”, disse Iraado.

“A ajuda que a FAO nos deu é muito importante porque nossas vidas dependem da terra”, acrescentou seu vizinho Ali Mahamud Rubaax. “Espero que no futuro essas sementes que estou plantando mudem minha vida e a vida de meus familiares”.

4. Desenvolvimento de meios de subsistência resilientes

Pessoas com meios de subsistência resilientes são mais capazes de prevenir e reduzir o impacto das mudanças climáticas e desastres em suas vidas.

A FAO trabalha em países e regiões ao redor do mundo para avaliar os impactos das mudanças climáticas e oferece orientação sobre técnicas de agricultura inteligente para o clima. Ao usar diferentes variedades de sementes, melhores redes de pesca ou técnicas de rotação de culturas, a FAO está ajudando as pessoas a tornarem seus meios de subsistência mais eficientes agora e sustentáveis no futuro.

Um exemplo é o “corredor seco” da América Central, onde a FAO está apoiando famílias de agricultores vulneráveis para melhorar suas estratégias de gestão da água.

5. Apoio às comunidades deslocadas

Quando famílias vulneráveis são forçadas a deixar suas casas devido a conflitos ou desastres, elas geralmente se instalam temporariamente em outras comunidades ou acampamentos. Às vezes, essas próprias comunidades anfitriãs já enfrentam dificuldades de recursos. À medida que esses recém-chegados buscam fontes de renda e alimentos, isso pode criar uma tensão com as comunidades em que buscaram refúgio. Para apoiar tanto as comunidades anfitriãs quanto os deslocados, a FAO implementa projetos para aumentar a produção de alimentos e gerar oportunidades econômicas das quais todos podem se beneficiar.

Após a violência em Cabo Delgado, Moçambique, por exemplo, a FAO está apoiando famílias deslocadas, fornecendo-lhes ferramentas e acesso a crédito que podem usar para comprar sementes e outros suprimentos.

As comunidades que acolhem estes deslocados se beneficiam de apoio semelhante para compensar a pressão sobre os recursos e aumentar a produção alimentar das suas famílias.

A FAO trabalha com parceiros importantes, como agências irmãs da ONU, ONGs, governos e o setor privado para enfrentar as muitas facetas das emergências para garantir que as comunidades sejam capazes de responder melhor e se recuperar de choques, agora e no futuro.

Saiba como a FAO ajuda as pessoas antes, durante e depois de emergências

FAO

Aline Czezacki Kravutschke

FAO

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

FAO
Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa