Notícias

FIDA ajudou mais de 250 mil famílias rurais brasileiras a superar a pobreza entre 2016 e 2022

01 julho 2022

O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) apresentou na capital federal os resultados da sua estratégia nacional para o Brasil entre 2016-2022. 

Nesse período, os seis projetos de desenvolvimento rural apoiados pelo Fundo investiram um total de US$ 453 milhões, dos quais US$ 141 milhões vieram do FIDA.

Isso significa que para cada dólar investido no Brasil, o Fundo mobilizou dois dólares adicionais para promover o desenvolvimento rural nas áreas rurais mais pobres do país.

 

Marcio Cândido Alves, representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Rossana Polastri, diretora regional do FIDA para América Latina e Caribe; Marco Aurélio Rocha, representante do Ministério da Economia; e Denise Cardoso, presidente de COOPERCUC
Legenda: Marcio Cândido Alves, representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Rossana Polastri, diretora regional do FIDA para América Latina e Caribe; Marco Aurélio Rocha, representante do Ministério da Economia; e Denise Cardoso, presidente de COOPERCUC
Foto: © Victoria Lobo/FIDA

Projetos financiados pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola da ONU (FIDA) ajudaram 257 mil famílias rurais a superar a pobreza no Brasil entre 2016 e 2022, de acordo com um relatório sobre a implementação da Estratégia Nacional do FIDA (COSOP) para o Brasil 2016-2022. O documento foi apresentado nesta quinta-feira (30) ao governo brasileiro em Brasília (DF).

Nesse período, e graças à capacidade do FIDA de convocar múltiplos cofinanciadores nacionais, os seis projetos de desenvolvimento rural apoiados pelo Fundo investiram um total de US$ 453 milhões, dos quais US$ 141 milhões vieram do FIDA. Isso significa que para cada dólar investido no Brasil, o Fundo mobilizou dois dólares adicionais para promover o desenvolvimento rural nas áreas rurais mais pobres do país.

“O Brasil é nosso maior programa de país na América Latina e no Caribe, não apenas pelo seu tamanho e sua economia, mas pelo ciclo virtuoso que o país criou ao priorizar o desenvolvimento rural, e o excelente desempenho dos projetos”, afirmou Rossana Polastri, Diretora Regional do FIDA para a América Latina e Caribe.

“Isso foi possível devido ao forte compromisso das autoridades federais e estaduais com a agricultura familiar como forma de as populações rurais pobres saírem da pobreza, e ao apoio da equipe de país do FIDA para o Brasil”, disse Polastri.

As conquistas dos projetos foram notáveis. A taxa de pobreza entre as famílias participantes caiu de 50% para 36%, um impacto impressionante especialmente considerando a forte seca que atingiu o semiárido nordestino nos últimos anos e os efeitos da pandemia de COVID-19. O Relatório de Revisão do COSOP considera que a execução da estratégia foi relevante e eficaz.

A análise oferece esperança em um momento difícil no caminho para a eliminação da pobreza no Brasil. Após uma queda nas taxas de pobreza e extrema pobreza durante os anos de 2003 a 2014 de 41,7% para 17,7%, esta tendência inverteu-se nos últimos anos, elevando a taxa de pobreza nacional para 19,4% em 2019, de acordo com o Relatório Econômico do Brasil da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), de dezembro de 2020.

Embora o Brasil seja a maior economia da América Latina e do Caribe, o país enfrenta uma desigualdade persistente, com grandes bolsões de pobreza remanescentes em todo o país, mais especialmente no Nordeste, onde estão quase 60% dos brasileiros que vivem em extrema pobreza.

O semiárido nordestino tem sido o foco das intervenções apoiadas pelo FIDA. No entanto, o Fundo identificou outras regiões com altas proporções de pessoas que vivem na pobreza e também com taxas críticas de insegurança alimentar. O mais recente projeto apoiado pelo FIDA, o Projeto de Gestão Sustentável da Amazônia (PAGES), foi desenvolvido para reduzir a pobreza rural e ao mesmo tempo diminuir o desmatamento e a degradação ambiental naquela região. O PAGES começará em breve a implantação na região amazônica do Maranhão.

A Estratégia 2016-2022 do FIDA para o Brasil definiu três objetivos principais: melhorar a produção agrícola e o acesso dos agricultores familiares aos mercados para contribuir com a segurança alimentar e nutricional do país; aprimorar as políticas públicas e programas voltados à agricultura familiar; e fortalecer a capacidade de instituições governamentais e organizações rurais de implementar políticas e programas.

Dos seis projetos de investimento implementados no Nordeste, três foram concluídos recentemente, e o PAGES estará em pleno funcionamento até setembro deste ano. Outros cinco projetos estão em fase de concepção e conceituação.

Os COSOPs do FIDA são estratégias de médio prazo que identificam os principais objetivos e resultados de desenvolvimento que o FIDA pretende alcançar em cada país em particular. Desenvolvidos em conjunto com os governos nacionais, os COSOPs se baseiam nas metas de desenvolvimento dos países e nas estratégias de redução da pobreza rural.

O relatório, elaborado pela Divisão da América Latina e do Caribe do FIDA, incorporará as contribuições do governo brasileiro e servirá de base para a elaboração da nova estratégia para o país no próximo ano.

Investimentos - Desde a década de 1980, os investimentos do FIDA no Brasil têm se concentrado em atividades de desenvolvimento rural na região semiárida do Nordeste do país, conhecida como sertão. Todos os projetos apoiados pelo FIDA no país focam no apoio e promoção da agricultura familiar, especialmente entre grupos marginalizados, como comunidades indígenas e quilombolas (afrodescendentes), assentados da reforma agrária, mulheres e jovens.

Os 13 projetos apoiados pelo Fundo no país investiram um total de US$ 1,18 bilhão (com mais de US$ 297 milhões do FIDA) e beneficiaram cerca de 615.400 famílias. Você pode encontrar mais informações sobre as operações do FIDA no Brasil aqui.

O FIDA é uma instituição financeira internacional e uma agência especializada das Nações Unidas. Com sede em Roma – o centro de alimentação e agricultura das Nações Unidas –,  investe na população rural, capacitando-a para reduzir a pobreza, aumentar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e fortalecer a resiliência. Desde 1978, fornecemos mais de US$ 23,2 bilhões em doações e empréstimos com juros baixos para financiar projetos em países em desenvolvimento. No ano passado, os projetos apoiados pelo FIDA alcançaram cerca de 130 milhões de pessoas. 

FIDA ajudou mais de 250 mil famílias rurais brasileiras a superar a pobreza entre 2016 e 2022

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

FIDA
Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa