Notícias

Webinário promove diálogo sobre desafios da resposta ao HIV no Brasil

19 setembro 2022

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil promoveu um webinário para compartilhar dados, informações e falar sobre os desafios da resposta ao HIV no país.

Foi usado como base de debate os dados mais recentes revelados pelo Relatório Global sobre AIDS “Em Perigo”, lançado em julho.

A diretora substituta do Departamento de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) do Ministério da Saúde, Angelica Espinosa Miranda, foi uma das convidadas do evento. O webinário também abriu espaço para que as pessoas da sociedade civil pudessem compartilhar suas dúvidas, sugestões e pontos de atenção sobre a resposta ao HIV.
 

 

Durante o evento, houve um forte reforço na importância de focar a resposta nas desigualdades, estigma e discriminação.
Legenda: Durante o evento, houve um forte reforço na importância de focar a resposta nas desigualdades, estigma e discriminação.
Foto: © Reprodução/UNAIDS

O Relatório Global sobre AIDS “Em Perigo”, lançado em julho, foi tema de um webinar organizado pelo UNAIDS para compartilhar dados e informações e falar sobre os desafios da resposta ao HIV no Brasil. No início do evento, Claudia Velasquez, diretora e representante do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil, apresentou uma visão geral dos dados globais do relatório, destacando que o título do documento indica um sinal muito preocupante sobre a forma como a resposta à pandemia de AIDS foi afetada pelas recentes crises, como a da COVID-19 e a guerra na Ucrânia.  

Os dados coletados a partir dos países e apresentados no relatório estimam que há um enfraquecimento na resposta ao HIV, o que afeta diretamente a vida das pessoas, especialmente as que estão em situação de maior vulnerabilidade, além de comprometer o alcance da meta de acabar com a AIDS como ameaça a saúde pública até 2030. 

A diretora substituta do Departamento de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) do Ministério da Saúde, Angelica Espinosa Miranda, fez uma apresentação na qual falou sobre como está o avanço do país na resposta ao HIV, incluindo os dados sobre tratamento, diagnóstico e prevenção. Entre os desafios apresentados por ela figuram o aumento de novas infecções entre homens jovens, a dificuldade de acesso de populações-chave aos serviços ofertados e a existência, ainda, de uma proporção significativa de diagnósticos tardios.

Debate - O webinário abriu espaço para que as pessoas da sociedade civil pudessem compartilhar suas dúvidas, sugestões e pontos de atenção sobre a resposta ao HIV no Brasil. Houve um forte reforço na importância de focar a resposta nas desigualdades, estigma e discriminação. Alguns dos outros pontos abordados incluíram a necessidade de um olhar direcionado para a questão da mulher; a consideração sobre as particularidades locais; a importância da educação para a sexualidade, especialmente para a população jovem; a necessidade de incorporar os saberes e dados gerados a partir da sociedade civil; e o tema da saúde mental das pessoas vivendo com HIV. 

Claudia Velasquez concluiu o webinário destacando a importância deste tipo de canal de diálogo e chamando a atenção para a importância do trabalho em conjunto entre os diferentes níveis de governo e a sociedade civil, com as comunidades no centro da resposta ao HIV, que é um dos pilares da estratégia global para AIDS 2021-2026

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

UNAIDS
Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/SIDA

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa