Notícias

Surto na Europa impulsiona aumento mundial da COVID-19

24 novembro 2021

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que os casos de COVID-19 continuam a crescer de forma acelerada no mundo.  Na última semana 3,6 milhões de novas infecções foram relatadas globalmente, um aumento em relação aos 3,3 milhões de novos casos reportados nos sete dias anteriores.

Segundo a agência de saúde da ONU, as infecções na Europa seguem puxando o crescimento mundial, com os novos casos do continente aumentando quase o dobro da média global.

A OMS alertou que a região europeia pode ver um aumento no número de mortes no próximos meses e chegar a março com a marca total de 2 milhões de vidas perdidas pela doença.

mulher abraça a mãe que usa oxigênio para se recuperar da covid-19
Legenda: Ucrânia foi um dos países que relatou outro número recorde de novas infecções por coronavírus
Foto: © Evgeniy Maloletka/UNICEF

Os casos de COVID-19 aumentaram na última semana, com 3,6 milhões de infecções relatadas globalmente, em comparação às 3,3 milhões nos sete dias anteriores, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS), na quarta-feira (24).

Segundo a agência de saúde da ONU, as infecções na Europa seguem puxando o crescimento mundial, com os novos casos do continente aumentando quase o dobro da média global.

Avaliação de vacinas para crianças - Em uma frente relacionada, a OMS disse que continua a revisar as novas evidências sobre a necessidade e o momento da vacinação de crianças com vacinas de COVID-19 que fazem parte da Lista de Uso de Emergência (EUL). Até o momento, a agência listou oito vacinas de COVID-19 para uso emergencial.

A agência da ONU deixou a cargo de cada país a decisão de vacinar os jovens, ao mesmo tempo em que apontou que a grave escassez da vacina COVID-19 persiste nos países em desenvolvimento. No mês passado, um painel da OMS disse que os benefícios das vacinas superavam os riscos para “todas as faixas etárias”.

“O maior fardo da doença em termos de doenças graves e mortes permanece entre os idosos e aqueles com comorbidades. Em geral, há proporcionalmente menos infecções sintomáticas e casos com doenças graves e mortes por COVID-19 em crianças e adolescentes, em comparação com os grupos de idade mais velhos", disse a OMS.

Os últimos dados desagregados por idade relatados à OMS mostram que crianças menores de 15 anos representam apenas 0,1% das mortes relacionadas ao coronavírus em todo o mundo; isso sobe para 0,4% para os jovens de 15 a 24 anos.

Funcionários da agência observaram ainda que, embora as crianças possam apresentar sintomas de “COVID-19 longa” após uma infecção por coronavírus, a frequência e as características dessas condições ainda estão sob investigação.

Também nesta semana, a OMS atualizou as diretrizes de tratamento para uma rara síndrome inflamatória que afeta os órgãos do corpo em crianças infectadas, o que pode complicar sua recuperação.

Metas não alcançadas - As metas da estratégia de vacinação global da agência da ONU exigem uma cobertura de 40% em todos os países até o final de 2021 e 70% até meados do próximo ano. Essas metas foram definidas para garantir um ritmo equitativo de distribuição global de vacinas e priorização das pessoas em maior risco. Mas, até o momento, não foram alcançadas.

Situação por região - Em sua análise epidemiológica semanal, a agência de saúde da ONU observou que as infecções na Europa aumentaram quase o dobro da média global.

De acordo com a OMS, a região pode chegar a mais de dois milhões de mortes por coronavírus até março. Até o momento, as mortes decorrentes da doença já ultrapassaram a marca de 1,5 milhão nos 53 países da Europa.

A região do Pacífico Ocidental e as Américas também relataram um aumento acentuado nas mortes por coronavírus, de 29% e 19%, respectivamente. Em contraste, a África e o Sudeste Asiático viram esse número cair na semana passada.

Os Estados Unidos continuaram a ser o país com o maior número de novos casos, mas a Alemanha testemunhou um aumento de 31% nas infecções e o Reino Unido, um aumento de 11% - com 281.063 novos casos.

Os dados mais recentes da OMS indicam que houve, até o momento, mais de 256 milhões de casos confirmados de COVID-19 e pelo menos 5,1 milhões de mortes causadas pela doença em todo o mundo.

Surto na Europa impulsiona aumento mundial da COVID-19

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

OMS
Organização Mundial da Saúde

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa