Notícias

Em Roraima e no Amazonas, Fundo de População da ONU combate violência contra as mulheres

01 dezembro 2021

Todos os anos, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participa da campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra Mulheres e Meninas. Nesta edição, os escritórios de Roraima e Amazonas organizaram uma série de atividades que envolvem os governos estaduais e municipais, assim como a Operação Acolhida, programa de recepção a pessoas refugiadas e migrantes vindas da Venezuela. 

A programação dos eventos inclui exibição de vídeos sobre violência contra mulheres e meninas, rodas de conversa sobre a Lei Maria da Penha, sessões informativas sobre enfrentamento da violência contra a mulher, sarau e atividades debatendo masculinidades.

Em 1999, 25 de novembro foi reconhecido pela ONU como Dia Internacional pelo Fim da Violência contra as Mulheres. No Brasil, a campanha se estende até 10 de dezembro e inclui a luta contra o racismo na pauta de ações.

Legenda: Assistentes de campo do UNFPA realizam caminhada para disseminação de informações no Abrigo Indígena Tancredo Neves
Foto: © Pedro Sibahi/UNFPA

Em todo o mundo, as Nações Unidas, organizações da sociedade civil, governos e movimentos sociais se mobilizam anualmente na campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra Mulheres e Meninas, que tem início em 25 de novembro, no Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. No Brasil, essa jornada tem uma duração mais longa, começando no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, com o objetivo de incluir também a luta contra o racismo na pauta de ações. 

Todos os anos, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participa da campanha.  Em 2021, os escritórios de Roraima e Amazonas organizaram uma série de atividades que irão ajudar a reforçar a conscientização pelo fim da violência contra mulheres e meninas. A iniciativa envolve os governos estaduais e municipais, assim como a Operação Acolhida, de recepção a pessoas refugiadas e migrantes vindas da Venezuela. 

A programação inclui exibição de vídeos sobre violência contra mulheres e meninas, rodas de conversa sobre a Lei Maria da Penha, sessões informativas sobre enfrentamento da violência contra a mulher, sarau e atividades debatendo masculinidades.

Ações em Roraima - Como parte das ações, desde o dia 20, o abrigo Rondon 5, da Operação Acolhida, iniciativa do Governo Federal, está iluminado com a cor laranja, simbolizando o enfrentamento da violência contra mulheres. A ação foi realizada em parceria com o UNFPA, a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e ONU Mulheres. 

A partir do dia 25, a Assembléia Legislativa de Roraima também ficará iluminada de laranja, seguindo até o final da campanha. Entre os dias 06 e 10 de dezembro, a Casa da Mulher Brasileira de Roraima adota a cor dos 16 dias de ativismo, e na noite de 8 de dezembro, o Teatro Municipal de Manaus, também celebrará a campanha, em ação conjunta do UNFPA, ACNUR, OIM e UNICEF, que também realizam panfletagem conscientizando sobre o tema.

No dia 30 de novembro aconteceu, em parceria com a Secretaria Municipal de Gestão Social de Boa Vista, ACNUR e Pirilampos, a oficina de pintura de cartazes "Pinta o Mundo de Laranja", para os jovens em situação de vulnerabilidade, brasileiros, migrantes e refugiados que participam do Projeto Crescer.

Campanha global

O 25 de novembro foi reconhecido pelas Nações Unidas como Dia Internacional pelo Fim da Violência Contra Mulheres em 1999, em memória às três irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas”), ativistas da República Dominicana torturadas e assassinadas pela ditadura local nesta data, no ano de 1960. Porém, desde 1991 organizações da sociedade civil realizam manifestações nesse dia pelo fim da violência contra a mulher.

Desde 2008, a ONU Brasil apoia a campanha do secretário-geral da ONU UNA-SE pelo Fim da Violência contra as Mulheres, como forma de participar dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra Mulheres e Meninas. Em todos os países nos quais está presente, a ONU está abordando o tema: “Pinte o mundo de laranja: fim da violência contra as mulheres, agora!” A campanha da ONU Brasil pede união de esforços e de ações para garantir a vida e a dignidade a todas as mulheres e meninas, inclusive na recuperação da COVID-19.

Marcos - Ao longo da campanha, há outras datas que são marcos importantes. No dia 29 de novembro é comemorado o Dia Internacional das Mulheres Defensoras dos Direitos Humanos, enquanto o 1º de dezembro é o Dia Mundial do Combate à Aids. O Dia Internacional para Pessoas com Deficiência é celebrado no 3/12. A campanha termina no Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, comemorado desde 1950.

Em Roraima e no Amazonas, Fundo de População da ONU combate violência contra as mulheres

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ONU Mulheres
Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e Empoderamento da Mulher
UNFPA
Fundo das Nações Unidas para a População

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa