Notícias

Banco Mundial e Banco do Brasil assinam acordo sobre mercado de carbono

25 maio 2022

Na sexta-feira (20), durante o congresso Mercado Global de Carbono, o Banco Mundial e o Banco do Brasil firmaram um memorando de entendimento para promover o chamado mercado de crédito de carbono.

As duas instituições discutiram uma parceria que poderia disponibilizar até US$ 500 milhões em empréstimos para empresas, agricultores e projetos de infraestrutura, que exerçam atividades capazes de reduzir gases de efeito estufa.

Entre 2016 e 2021, o Banco Mundial investiu aproximadamente US$ 109 bilhões em financiamento climático, incluindo um recorde de US$ 26 bilhões em 2021

 

Fausto de Andrade Ribeiro, presidente do Banco do Brasil, e Shireen Mahdi, economista chefe do Banco Mundial para o Brasil. Na tela, ao fundo, Paloma Anós Casero, diretora do Banco Mundial para o Brasil
Legenda: Fausto de Andrade Ribeiro, presidente do Banco do Brasil, e Shireen Mahdi, economista chefe do Banco Mundial para o Brasil. Na tela, ao fundo, Paloma Anós Casero, diretora do Banco Mundial para o Brasil.

Foto: © Banco Mundial

O Banco Mundial e o Banco do Brasil firmaram um memorando de entendimento para formalizar a parceria entre as duas instituições com o objetivo de promover no país a redução da emissão e a remoção de gases de efeito estufa (GEE), ao incentivar uma participação maior do setor privado nos mercados de crédito de carbono. A assinatura do documento foi realizada na sexta-feira (20), durante o congresso Mercado Global de Carbono, realizado no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro.

A partir da aprovação do MoU (Memorandum of Understanding, na sigla em inglês), o Banco do Brasil pretende expandir as fontes de financiamento verde para apoiar empresas e projetos que possam gerar créditos de carbono e/ou reduzir a emissão de GEE. As discussões entre o Banco Mundial e o Banco do Brasil são em torno de um possível empréstimo de US$ 500 milhões.

A intenção é destinar os recursos para empresas, agricultores e projetos de infraestrutura, a fim de promover atividades capazes de reduzir GEE e/ou gerar créditos de carbono de alta qualidade, além de aumentar o acesso das companhias e projetos brasileiros aos mercados de crédito de carbono nacionais e internacionais.

Comprometimento - O Grupo Banco Mundial é o maior financiador mundial da ação climática nos países em desenvolvimento, empenhado na redução da pobreza e no enfrentamento aos desafios das mudanças climáticas. Entre 2016 e 2021, o Banco Mundial investiu aproximadamente US$ 109 bilhões em financiamento climático, incluindo um recorde de US$ 26 bilhões em 2021.

De acordo com o Plano de Ação para Mudanças Climáticas (CCAP, na sigla em inglês) o Grupo Banco Mundial, se comprometeu a fornecer US$ 25 bilhões, em média, em financiamento anual no quadriênio 2021-2025, para iniciativas que reduzam as emissões de gases de efeito estufa e promovam a adaptação, reduzindo a pobreza e a desigualdade, além de melhorar os resultados do desenvolvimento.

Banco Mundial e Banco do Brasil assinam acordo sobre mercado de carbono

Entidades da ONU envolvidas nesta atividade

ONU
Organização das Nações Unidas

Outras entidades envolvidas nesta iniciativa

Banco Mundial
Banco Mundial

Objetivos que apoiamos através desta iniciativa